Cocriando a nova Terra

Fui visitar o museu do Amanhã no Rio. É lindo, interativo, futurista, tudo muito bem exposto com efeitos incríveis, mas a mensagem é clara: e aí seres humanos, o que vamos fazer agora?


Hoje estamos no Antropoceno, a Era dos Humanos, um novo momento na história do planeta. Somos bilhões de pessoas ocupando todos os continentes, fabricando tecnologias mais eficientes, mas consumindo vastos recursos e produzindo muito lixo.


Em poucas gerações nos tornamos uma força global que transformou a Terra e as condições de vida de outras espécies. Nossas ações têm consequências significativas que se estenderão pelos próximos séculos. Nós e nossos descendentes viveremos em um mundo profundamente modificado pela nossa própria espécie.


Lá no museu tem um simulador da nossa pegada ecológica, que através de um questionário sobre hábitos de vida calcula quantos planetas Terra são necessários para suprir nosso estilo de vida. As perguntas giram em torno de alimentação, a frequência da ingesta de carnes e laticínios, se comemos muitos produtos importados ou naturais do Brasil. Questiona também sobre o consumo de eletrônicos, roupas e acessórios. Como também o tipo de transporte mais utilizado e quais fontes energéticas fazemos uso, inclusive se usamos lâmpadas ecológicas. Também questiona como tratamos o lixo que produzimos.


Eu preciso de 0,9 planeta Terra, então estou compensando meu companheiro que precisa de 1,07. 😁 Brincadeiras à parte, o assunto é sério e me fez pensar em mais estratégias e mudanças de hábitos que podemos incluir na nossa rotina aqui em casa para minimizar ainda mais nosso impacto.



Seres humanos em geral tem um pouco de dificuldade para abandonar um jeito de viver e prazeres sensoriais imediatos, mesmo sabendo que aquilo pode estar nos prejudicando. Mas o acesso à informação está escancarando essas consequências na nossa cara. Nossos ancestrais começaram o uso abusivo de recursos naturais, mas não tinham tanta consciência das consequências, nossa geração não pode usar essa desculpa, nós sabemos.


Desculpa aí, mas esse texto é pra incomodar. 😜 Se você tem filhxs ou pensa em ter, tem sobrinhxs, primxs ou simplesmente quer facilitar a preservação da vida como conhecemos e da Terra, precisamos agir.


Mesmo quem já está na busca de ressignificar hábitos e colocar em prática mudanças substanciais, temos que continuar em movimento, precisamos incomodar. Precisamos aproveitar o embalo das tendências eco-sustentáveis e abrir espaços de diálogo nos mais diversos contextos.


O principal fator para qualquer mudança de hábito na nossa vida é a motivação, ação inspirada por um motivo. Sem motivação a transformação não tem força propulsora. Devemos também identificar e comemorar os pequenos avanços, valorizando nosso movimento de mudança. A sugestão é escolher um hábito mais sustentável e colocá-lo em prática. Pensa em um hábito que é possível de mudar agora e só exige um pouco de esforço, lembra do motivo e vai! 😉 Fica nesse mesmo hábito por mais de um mês, quando sentir que já internalizou, já virou automático, aí escolhe outro! E assim vamos...




Processos de autoconhecimento devem acompanhar essa transição. Nosso papel é trabalhar na nossa própria evolução pessoal para atuarmos na expansão da consciência de todos. Entender nossos próprios bloqueios para mudar hábitos nocivos, entender nossa motivação e estimular nosso poder pessoal e criatividade para conseguir construir novas formas de viver.


Para entusiastas do futurismo esse museu é visita obrigatória. Adoro as possibilidades que os avanços tecnológicos vão trazer. Tem materiais sendo desenvolvidos, como o grafeno, que vão revolucionar nossa vida como fonte de matéria prima. Também adoro a visão de pertencimento ao cosmos, nos colocando como parte desse todo já que somos feitxs das mesmas partículas que o universo, literalmente. E ao mesmo tempo a visão de que sabemos muito pouco, muito pouco mesmo, visto que existem vários tipos de galáxias: as elípticas, as espirais, as espirais barradas e as irregulares. A nossa via láctea é um exemplar das espirais barradas.


É uma viagem imaginar tudo que pode existir que ainda não sabemos...mais ainda imaginar o que podemos construir unindo o que há de melhor no ser humano e na tecnologia. Essa revolução já começou e quem despertou precisa chamar quem tá dormindo, com amorosidade, sem chacoalhão! 🤣


Meu lema é “Sem pressa, mas sem tempo a perder”.






10 visualizações1 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Tempo Rei